Com a discussão gerada pela reforma da previdência social brasileira, muitas pessoas passaram a se preocupar com o assunto, e a buscar alternativas seguras e estáveis para garantir a estabilidade no futuro.

Somente em 2016, segundo dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi), os aportes em planos de previdência privada subiram 19,9%, totalizando R$ 114,72 bilhões, um claro indicador sobre a tendência em investir nesse segmento.

Vale lembrar que a previdência privada garante uma renda mensal vitalícia, e se torna cada vez mais relevante em um cenário crescente de envelhecimento da população. Além disso, é importante saber que esse recurso consiste em um fundo de investimento, existindo, portanto, investidores agressivos e conservadores. Nesse sentido, a rentabilidade pode oscilar, assim como pode haver a variação de taxas de administração e carregamento.